Recordando o passeio no Barco Évora no dia 10 de junho de 2019

Conforme em tempo amplamente divulgado pela Direcção, a Confraria Marítima de Portugal realizou no passado dia 10 de Junho, Dia de Portugal, um simpático cruzeiro no Tejo, a bordo do n/m ÉVORA.

“O Futuro de Portugal está no Mar” – 120 anos da Liga Naval Portuguesa

Na viragem do séc. XIX para o séc. XX viviam-se os anos da “paz armada” que conduziu a uma guerra LER ARTIGO

A Confraria Marítima de Portugal tem nova sede

Na sequência da decisão tomada na última Assembleia Geral, a direção Confraria Marítima de Portugal (CMP) firmou um protocolo de LER ARTIGO

“O Futuro de Portugal está no Mar” – 120 anos da Liga Naval Portuguesa

Na viragem do séc. XIX para o séc. XX viviam-se os anos da “paz armada” que conduziu a uma guerra que transformou a Europa e o mundo num devastador campo de batalha durante cinco anos, num conflito que iria deixar mais de 20 milhões de mortos e fazer desaparecer quatro impérios no Velho Continente.

A Confraria Marítima de Portugal tem nova sede

Na sequência da decisão tomada na última Assembleia Geral, a direção Confraria Marítima de Portugal (CMP) firmou um protocolo de LER ARTIGO

Recordando o passeio no Barco Évora no dia 10 de junho de 2019

Conforme em tempo amplamente divulgado pela Direcção, a Confraria Marítima de Portugal realizou no passado dia 10 de Junho, Dia LER ARTIGO

CMP AG 3 junho 2020

Assembleia Geral da Confraria Marítima de Portugal, 3 junho 2020

Nos termos do número 2 do artigo 5º dos Estatutos da Confraria Marítima de Portugal, que remete para os artigos 173º e 174º do Código Civil, convocam-se todos os Confrades da Confraria Marítima de Portugal para se reunirem em Assembleia Geral Ordinária, a realizar no dia 3 de junho de 2020, quarta-feira, pelas 18h00, no Museu de Marinha, na Sala do Serviço Educativo, com a seguinte Ordem de Trabalhos: 1º – Deliberar sobre o Relatório de Gestão e as Contas do Exercício findo em 31 de dezembro de 2019, apresentado pela Direção, bem como sobre o Relatório e Parecer do Conselho Fiscal. 2º – Apreciar e votar o Orçamento e Plano de Atividades para o exercício do ano 2020. 3º – Ratificar a decisão tomada na anterior A.G. para a nova designação Confraria Marítima de Portugal – Liga Naval Portuguesa (por lapso na anterior A.G. não houve assinatura da acta por todos os presentes) 4º – Apreciar outros assuntos de interesse para a Confraria Marítima de Portugal.   Dada a evolução incerta da pandemia aconselha-se que os Confrades que ainda não estejam confiantes a sair de casa apresentem uma procuração de representação com o teor do documento anexo.  Caso à hora marcada para o início dos trabalhos da Assembleia Geral não exista quórum suficiente, a Assembleia realizar-se-á meia hora mais tarde, com qualquer número de Confrades presentes.   Descarregue a Convocatória AQUI Descarregue a Procuração AQUI  

Conferência “UN Oceans Conference 2020” – 2 a 6 junho 2020

= ADIADO (DATA A ANUNCIAR) = O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, ONU Meio Ambiente, considera a Conferência da ONU sobre Oceanos de Lisboa um dos eventos-chave marcados para 2020. As Nações Unidas vêm 2020 como um “super ano” para o meio ambiente, porque os maiores encontros internacionais “definirão o tom e a agenda da ação ambiental na próxima década”. Em Lisboa são esperados milhares de representantes de governos, ONGs, sociedade civil, academia, comunidade científica, setor privado e filantropia. A Conferência sobre Oceanos, coorganizada com o Quénia, deverá adotar uma declaração intergovernamental sobre a ação climática, fundamentada na ciência e nos compromissos voluntários dos países signatários. A meta é apoiar a implementação do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável nº 14, sobre a Vida na Água. Em Junho de 2017, durante a primeira conferência dos oceanos da ONU na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque, Ana Paula Vitorino, então Ministra do Mar, disse que Portugal pretendia organizar a segunda edição do evento, marcada para 2020. Em dezembro de 2019, o primeiro ministro António Costa disse que uma das grandes prioridades da política externa portuguesa para o próximo ano é organizar a conferência mundial sobre os oceanos no quadro das Nações Unidas” Local:  Lisboa (Em atualização) Contatos: (Em atualização)

59º Encontro da Confraria Marítima – Liga Naval Portuguesa

= EVENTO ADIADO = Jantar-debate: “A Pirataria Marítima Contemporânea” Local: Restaurante da ANL, em Belém, Lisboa Traje: passeio  (as confreiras e os confrades deverão usar os símbolos da CMP-LNP:  capa, lenço ou gravata, emblema e medalha) Data: 20 Março 2020, às 20h00 Inscrições:   mmarques@lbranco.pt (inscreva-se o mais depressa possível e no limite antes de 15 de março – pode trazer convidados) Valor da participação: 25 € (a pagar em dinheiro no local) Em 2007 o mundo acordou para um surto de pirataria no Golfo de Adén e ao largo da Somália, afetando diretamente as comunicações marítimas que ligam a Ásia à Europa. De imediato subiram os seguros e os fretes, e muitos armadores alteraram as rotas dos seus navios, com maiores custos. A comunidade internacional reagiu deslocando forças navais para a área. A pirataria marítima, que esteve adormecida durante o século XIX, ressurgia com clamor. Onde estão hoje localizados os hot spots da pirataria marítima a nível mundial? Qual tem sido o contributo da Marinha Portuguesa para o combate a este fenómeno? O que mais pode ser feito para o minimizar? No nosso próximo encontro, vamos ouvir o Cmdt. Henrique Portela Guedes falar sobre a atual situação da pirataria marítima. Para além do jantar confecionado pelo restaurante da Associação Naval de Lisboa, o programa inclui ainda a Cerimónia de Entronização dos novos confrades: José Inácio da Costa Lopes – Comandante da Caravela VERA CRUZ André Marques Pereira – Prémio melhor aluno do Curso de Mestrado em Pilotagem da ENIDH, oficial da Marinha Mercante de Portugal A NÃO PERDER! Agradece-se aos Confrades que pretendam adquirir Capa, Gravata ou Lenço, o favor de assinalar com antecedência essa intenção.

58º Encontro da Confraria Marítima de Portugal

Ponto de Encontro: Portão Verde (entrada da Base Naval de Lisboa, Laranjeiro) às 10h00 Traje: passeio (gravata ou lenço da Confraria Marítima e Capa) Valor da participação: 15 € (a pagar em dinheiro no local) Número máximo de inscrições: 45 Inscrições:  jrochaabreu@hotmail.com (é muito importante e necessário fornecer os nomes do(s) visitante(s) e a matrícula da viatura) Solicita-se aos Confrades que pretendam adquirir Capa, Gravata ou Lenço, assinalar com antecedência essa intenção.     Detentora de uma das mais importantes coutadas, a Quinta do Alfeite foi, muitas vezes, lugar preferido do Rei D. Carlos para as suas caçadas, alojando-se por lá nesses períodos de lazer e recreio venatório. O Palácio, mandado construir em 1758 por D. Pedro III, filho de D. João V, está hoje à guarda da Armada, que aí tem instalados diversos serviços. Nos terrenos da Quinta, situa-se hoje a Base Naval de Lisboa, que entre outras muitas unidades conta com o Centro Integrado de Treino e Avaliação, responsável pela manutenção dos altos padrões de treino das guarnições dos navios combatentes da nossa Esquadra. Parte desse treino é hoje efectuado em modernos simuladores tanto para a Navegação como para o Combate Naval. No nosso próximo encontro vamos ao Alfeite para uma visita ao CITAN (onde podemos conhecer o moderníssimo simulador de Navegação) e ao Palácio do Alfeite, num verdadeiro regresso ao passado, levados pela descrição apaixonante do Comandante José Rocha e Abreu. O programa inclui ainda a Cerimónia de Entronização dos novos confrades, bem como um almoço confeccionado pela Marinha Portuguesa. A NÃO PERDER!

A Confraria Marítima de Portugal tem nova sede

Na sequência da decisão tomada na última Assembleia Geral, a direção Confraria Marítima de Portugal (CMP) firmou um protocolo de colaboração com a Marinha Portuguesa, para poder utilizar regularmente um espaço na ex-Fábrica Nacional de Cordoaria.

“O Futuro de Portugal está no Mar” – 120 anos da Liga Naval Portuguesa

Na viragem do séc. XIX para o séc. XX viviam-se os anos da “paz armada” que conduziu a uma guerra LER ARTIGO

Recordando o passeio no Barco Évora no dia 10 de junho de 2019

Conforme em tempo amplamente divulgado pela Direcção, a Confraria Marítima de Portugal realizou no passado dia 10 de Junho, Dia LER ARTIGO

57º Encontro da Confraria Marítima de Portugal

No século XVIII, a Ribeira das Naus passou a ser designada “Arsenal Real da Marinha” quando as suas instalações foram construídas no mesmo local, no âmbito da reconstrução da Baixa de Lisboa, depois do terramoto de 1755. Nessa época, os Carpinteiros de Machado (classe profissional ligada à construção naval), devotos de São Roque, viram edificada a sua igreja, a Capela de São Roque, uma pequena pérola barroca que, ainda hoje, muito poucos conhecem. O primeiro lugar de culto a ser concluído na reconstrução de Lisboa. Em 1910, passou a designar-se “Arsenal da Marinha de Lisboa”. O Arsenal da Marinha de Lisboa foi desactivado em 1939, com a inauguração do Arsenal do Alfeite na margem Sul do Rio Tejo. A Ribeira das Naus, com as docas Seca e da Caldeirinha, constituíu o conjunto dos maiores estaleiros do Império Oceânico Português, servindo de modelo aos restantes que se foram construindo além-mar, nomeadamente às ribeiras de Goa e de Cochim. O seu antigo local – cujo acesso ao rio Tejo foi cortado com a construção da Avenida Ribeira das Naus – faz hoje parte das Instalações da Administração Central da Marinha.   Uma deliciosa visita guiada pelo Comandante José Rocha e Abreu.   Traje: passeio (gravata opcional) Valor da participação: 15 € Número máximo de inscritos: 45 Inscrições: mmarques@lbranco.pt data limite das inscrições: 30 de agosto

Comissão Parlamentar para as Políticas do Mar

A Confraria Marítima junta-se à Petição Pública pela Constituição da COMISSÃO PARLAMENTAR PARA AS POLÍTICAS DO MAR O mar é um dos principais recursos naturais de Portugal, no entanto, nas últimas décadas do século XX, o país deixou o mar fora da agenda política e económica. Felizmente, nos últimos anos, surgiu uma nova consciência nacional sobre a importância da geografia e do mar em Portugal. Compreendemos a urgência de preservar e proteger o oceano, mas ainda nos falta adotar as medidas corajosas para assegurar a sua sustentabilidade ambiental. O mar não é apenas uma questão de tradição, é um imperativo de modernidade. Não é apenas um traço essencial da nossa identidade, é uma nova e vasta oportunidade para o nosso futuro colectivo. Portugal dispõe de um vasto recurso natural, tem a matéria-prima, mas falta-lhe capital, políticas adequadas e know-how orientados a explorar e aproveitar sustentadamente toda essa matéria-prima. A discussão, deliberação e fiscalização de novas políticas de fomento da economia do mar pela Assembleia da República será certamente um fortíssimo contributo para desatar o nó que tem fechado a tampa do vasto potencial que o mar representa para Portugal. A Assembleia da República pode dar um contributo decisivo à resolução de um velho problema quanto às políticas públicas do mar. Uma Comissão Parlamentar para as Políticas do Mar permitirá uma contínua reflexão abrangente sobre o mar português, com grande visibilidade para a opinião pública; envolvendo todos os partidos na afinação das política do mar, assim tornadas verdadeiramente em política nacional; permitindo assegurar uma contínua  estratégia nacional para o mar. A Confraria Marítima, consciente da importância e necessidade de criar a COMISSÃO PARLAMENTAR PARA AS POLÍTICAS DO MAR, vem solidarizar-se com os subscritores da Petição Pública e apelar aos seus associados para que a assinem. Assinar a Petição https://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=PT93868